Inquérito 
Responda ao nosso inquérito!

NUCLIO acompanha em directo chegada da sonda MPL a Marte


invite_lander_150.jpgNa madrugada de dia 26 de Maio está prevista a chegada a Marte de mais uma sonda da NASA, a Mars Phoenix Lander, destinada a aprofundar o nosso conhecimento sobre o planeta vermelho. A NASA transmitirá a partir do seu centro de controlo na Califórnia (Jet Propulsion Laboratory), todo o processo de entrada, descida e aterragem da sonda. Esta emissão estará disponível em:
www.nasa.gov/multimedia/nasatv

Em Portugal, esta emissão será acompanhada em directo, a partir das 20h do dia 25 de Maio, no âmbito de uma sessão pública organizada pelo NUCLIO, a ter lugar no Instituto Geográfico do Exército, em Lisboa, na qual estarão também presentes diversos especialistas nacionais, actualmente envolvidos em projectos relevantes para a exploração de Marte.

Pouco depois da meia-noite do próximo dia 25 de Maio, a agência espacial norte-americana NASA fará chegar a Marte a sonda Mars Phoenix Lander, cujo principal objectivo é investigar a água existente, sob a forma de gelo, no planeta vermelho. Trata-se da primeira missão a tomar contacto directo com água na superfície de outro planeta.

A sonda, que consiste numa plataforma fixa com um tempo de missão estimado em cerca de 3 meses, está equipada com um braço robótico que lhe permitirá escavar algumas dezenas de centímetros no solo, de forma a recolher amostras de camadas protegidas da forte radiação ultra-violeta que esteriliza a superfície. As amostras recolhidas serão analisadas por instrumentos científicos a bordo da nave, de forma a tentar determinar o historial da água nas grandes planícies que circundam o pólo norte marciano, assim como a eventual presença de materiais orgânicos e, porventura, a potencial habitabilidade do subsolo de Marte.

A Mars Phoenix Lander é mais um importante passo no sentido de identificar localizações promissoras para a busca de vida em Marte. O actual programa de exploração levado a cabo pelas agências espaciais europeia e norte-americana estabelece um roteiro destinado à preparação de uma missão de recolha de amostras na superfície do planeta e seu subsequente envio para a Terra (Mars Sample Return), actualmente programada para o final da próxima década.

Não obstante a importância da sua missão, a Mars Phoenix Lander apenas poderá contribuir para o avanço do conhecimento científico sobre Marte após ultrapassar, no dia 25 de Maio, um derradeiro e exigente obstáculo: o período de sete minutos que compreende a entrada na atmosfera de Marte, seguida da descida, e finalmente da aterragem em segurança na superfície do planeta. Trata-se de um desafio em que menos de metade de todas as tentativas realizadas até hoje tiveram sucesso, e que é por vezes descrito pelos engenheiros envolvidos neste tipo de missões como "os sete minutos de terror".

Em primeiro lugar, a sonda entra na atmosfera de Marte a cerca de 20 000 km/h, tendo de diminuir drasticamente a sua velocidade em pouco mais de três minutos, até que seja possível recorrer a outros meios para a sua travagem. Durante este período o veículo é submetido a uma forte desaceleração, acompanhada de um aquecimento da sua superfície até temperaturas que excedem os 1400 graus C, devido ao atrito com a atmosfera e à elevadíssima velocidade a que o veículo a atravessa. Após a fase de entrada, e para continuar a reduzir a velocidade, abrir-se-á um pára-quedas, ainda na fase supersónica do voo. Depois de mais quase três minutos, a sonda separar-se-á dele a cerca de um km da superfície, travando ainda mais e aterrando com recurso a um conjunto de foguetes.

A ter sucesso, esta será a primeira aterragem em Marte com recurso a foguetes desde as missões Viking, que tiveram lugar há mais de 30 anos. Desde então, todas as tentativas que tiveram êxito recorreram a 'airbags' para acolchoar o embate com o solo.

O contacto da Mars Phoenix Lander com a Terra será mantido durante a totalidade do seu voo atmosférico, tal como aconteceu com os seus predecessores Spirit e Opportunity. Para tal, a nave está equipada com um sistema de rádio, o que torna possível a monitorização de todos os passos das fases de entrada, descida e aterragem. Estes dados serão disponibilizados em tempo-real através da Internet, numa emissão especial que a NASA transmitirá a partir do seu centro de controlo na Califórnia (Jet Propulsion Laboratory), na noite de 25 de Maio. Esta emissão estará disponível em:
www.nasa.gov/multimedia/nasatv